Wilson Lima aposta no desejo do eleitor por renovação

O pré-candidato ao governo do Amazonas pelo PSC, Wilson Lima. aposta no desejo do eleitor por mudança e na identificação de seu nome como “o novo” no atual cenário político para comandar o Governo do Estado a partir de 2019. Lima reforça que o mundo passa por um momento especial que reflete na política, com a eleição de novos nomes, poucos conhecidos. O pré-candidato participou do programa “2018 – O Ano da Transformação“, num parceria entre o Jornal do Commercio e a Amazon Play TV Digital

“As pessoas estão cansadas da política tradicional. Estão cansadas do modelo que está posto aí. Querem uma mudança, um momento novo na política, nomes novos”, explicou.

Wilson Lima reconhece que é um grande desafio lutar contra as máquinas do Estado, da Prefeitura e das Casas Parlamentares, num partido pequeno, mas avalia ser o cenário atual político diferente, especial, com um forte anseio de mudança por parte do eleitor.

LEIA MAIS – Defensor Carlos Alberto defende candidatura ao Senado

Desalento do eleitor

O resultado da eleição suplementar para o governo do Amazonas, no ano passado, com mais de um milhão de votos nulos, inválidos ou abstenções (43,47% do total) mostrou esse desencanto dos eleitores com a política e com as opções para voto. A recente eleição suplementar em Tocantins, no último fim de semana, com 49,33% de não votos (soma das abstenções, nulos e inválidos) fez coro ao cenário percebido no Amazonas no ano passado.

O pré-candidato aponta outras variáveis para o bom desempenho eleitoral neste ano, além do dinheiro para campanha e tempo na propaganda eleitoral gratuita. “O dinheiro e o tempo de TV serão importantes, mas determinante será a vontade do povo de mudar”, explica. Lima descarta a possibilidade de sua pré-candidatura ser apenas uma aventura ou “balão de ensaio” como se diz no jargão político. “Não estou no processo para projetar o meu nome ou ver se dá certo. Tenho reais condições de chegar lá e estou vindo para brigar”, disse.

LEIA MAIS – Todo candidato precisa de um perfil ativo no Twitter

Sem negociações partidárias

Da mesma forma, Lima disse rejeitar o uso de sua pré-candidatura como instrumento a ser utilizado como moeda de troca, por um cargo de vice em alguma coligação ou optando por uma disputa à Câmara Federal. “Não há a menor possibilidade de estabelecer algum tipo de acordo desse tipo. Vou disputar o Governo do Estado”, enfatizou.

Lima aposta no que ele denominou de capital de credibilidade para ser um candidato forte nas eleições majoritárias ao Governo do Amazonas. “Duvido se outro político tem coragem de ir aos eventos que eu vou, junto do povo, porque as pessoas estão revoltados com os políticos e com a política. Por isso é preciso romper com o modelo que está aí”.

Uma estratégia do pré-candidato para fugir de coligações com políticos profissionais é a formação de um grupo de pessoas que não participaram dos últimos pleitos, sem mandato, mas que tem sucesso em suas áreas de atuação e entendem que o Brasil e o Amazonas precisam de um novo momento na política.  “Por onde eu ando tenho sentido essa respostas das pessoas, essa vontade de mudar”, acrescentou.

Saída do PR

Wilson Lima surgiu na política em 2016 pelo PR tendo o seu nome lançado como vice-prefeito na chapa puro-sangue com o também republicano Marcelo Ramos, tendo sido preterido na coligação de seu partido com o PSD e o DEM. No ano passado durante as articulações para a eleição suplementar ao governo do Estado, decidiu saltar fora do PR por avaliar que o direcionamento do partido não era o correto, na coligação com o MDB e a parceria Eduardo Braga e Marcelo Ramos.

“Eu saí do partido acreditando na possibilidade do novo, na possibilidade de uma mudança. E eu tive coragem de fazer isso. Na política a gente tem que ter decência, tem que ter caráter”, disse. Para ele, a credibilidade de seu nome é seu maior ativo político.

LEIA MAIS – Candidatos paqueram R$ 1,7 bilhão do fundo de campanha

Interiorização do desenvolvimento

O pré-candidato do PSC defende um projeto de interiorização da economia no interior do Estado com difusão tecnológica para capacitar os produtores e empreendedores regionais. “A gente precisa ao mesmo tempo de infraestrutura para o interior, estradas, portos, aeroportos. Também precisamos direcionar os recursos de P&D das indústrias para a interiorização do desenvolvimento”, afirmou.

Lima avalia a necessidade maiores investimentos na Universidade Estadual do Amazonas para o desenvolvimento de pesquisas que possam ser aplicadas neste grande desafio de dotar o interior de informações que gerem negócios ligados às vocações regionais dos municípios. “O produtor do interior precisa de acompanhamento técnico”, reforçou.

Defesa da ZFM

O pré-candidato também reforça a necessidade de preservação do atual modelo ZFM, com os incentivos fiscais diferenciados garantidos na Constituição. “Não podemos perder os empregos no distrito, é um direito nosso e precisamos lutar por isso. Não podemos viver reféns de ameaças que geram insegurança jurídica para novos investimentos”.

Lima destaca o apoio ao pré-candidato Paulo Rabelo (PSC) à presidência da República como forma de ampliar a defesa dos interesses do Amazonas e dos direitos garantidos à ZFM. Paulo Rabelo é economista e foi ex-presidente do BNDEs e do IBGE. Wilson Lima avalia que Rabelo tem muito a contribuir com o Amazonas e com a ZFM.    

LEIA MAIS – Não é inteligente ir contra a ZFM, diz Álvaro Dias

Abaixo, você pode conferir a entrevista completa no estúdio da Rádio Baré.

Facebook Comments

Profissional do jornalismo desde 1996 e entusiasta do empreendedorismo digital. Figura carimbada em redação de jornais, vislumbra novas oportunidades no marketing de conteúdo e no desafio do homeoffice. Freelancer por opção, ele é manauara, nascido no Rio. Cristão pela graça, amigo de cães e gatos.

Não deixe passar em branco